Mundo

Israel é o primeiro país a proibir o comércio de peles de animais


Nesta última quarta-feira (9), Israel fez história com a publicação de um decreto que proíbe o comércio de peles de animais, afetando principalmente a indústria da moda. A ordem começará a vigorar em seis meses e se tornará a mais rígida do mundo em relação ao tema.

A ministra do Meio Ambiente israelense, Gila Gamliel, afirmou que “a indústria do comércio de peles causa um sofrimento inimaginável aos animais, e este decreto transformará o mercado de moda israelense, tornando-o melhor no cumprimento dos padrões ambientais”. 

As únicas exceções ao uso de pele, como disse o próprio ministério em um comunicado oficial, são para: pesquisa, educação e algumas tradições religiosas. Uma dessas tradições é a da fabricação ritualística de um chapéu conhecido como “shtreimel”, utilizado por judeus ortodoxos. 

Desde 1976, a criação de animais para o aproveitamento de suas peles já era proibido no país, mas nenhuma medida tão forte havia sido criada para conter o seu comércio. Jane Halevy-Moreno, diretora da Coalizão Internacional Anti-Pele (IAFC), publicou uma carta parabenizando o país por esse “gesto histórico”, dizendo que “Israel é o primeiro país do mundo a fechar as portas a esta indústria cruel”.