Mudanças Climáticas

AIE prevê aumento de emissões de gases estufa após a pandemia


O novo relatório da Agência Internacional de Energia (AIE) divulgado nesta terça-feira, 20 de abril, mostra que as emissões globais de dióxido de carbono devem ter o segundo maior aumento da história, superando a queda do ano passado causada pela pandemia. As emissões podem aumentar em quase 5% este ano e deverão chegar a 33 bilhões de toneladas.

O principal amplificador é a demanda por carvão, que deve crescer 4,5% para exceder seu nível de 2019 e abordar sua cimeira histórica em 2014, com o setor elétrico responsável por três trimestres desse aumento. A geração de eletricidade de fontes renováveis - deve dar um salto de mais de 8% em 2021- respondendo por mais da metade do aumento da fonte de alimentação total do mundo. A maior contribuição para este crescimento vem da energia solar e do vento, que é baseada em seu maior aumento anual da história. 

"As emissões globais de carbono devem saltar 1,5 bilhão de toneladas este ano - impulsionadas pelo ressurgimento do uso de carvão no setor de energia. Este é um aviso terrível de que a recuperação econômica da crise da covid-19 atualmente é tudo menos sustentável para o nosso clima ", disse Fatih Birol, diretor Executivo da IEA.

“A menos que os governos ao redor do mundo ajam rapidamente para começar a cortar as emissões, provavelmente enfrentaremos uma situação mais grave em 2022. Na cúpula dos líderes do clima, patrocinada pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, esta semana é o momento certo para fazer um compromisso claro, e que a COP26 tome medidas imediatas em Glasgow, concluiu.